terça-feira, fevereiro 21, 2006

A caminho dos amanhãs que cantam....

Notícia da SIC Online...

E aki vamos nós a caminho da sociedade fraterna ao som da Internacional... uma sociedade mais justa e democrática! Como é que isto é possível? Poderiam meter umas placas, como existem em qualquer boa casa de alterne: reservado o direito de admissão!

Ou então, ao som da Internacional, poderiamos voltar todos a dispensar o vil metal e incrementarmos as trocas em espécie, refundando o comunismo primitivo, base de algumas sociedades altamente civilizadas no início do Neolítico!

Transcrição:

Desempregados não podem abrir contas bancárias

Algumas instituições bancárias nacionais estão a recusar abrir simples contas a quem está desempregado. A notícia é avançada pelo Diário de Notícias (DN) que dá conta de várias reclamações e pedidos de esclarecimento que têm chegado ao Banco de Portugal.
O DN escreve que ao Banco de Portugal "têm chegado reclamações e pedidos de esclarecimento relacionados com recusas de aberturas de contas de depósitos por algumas instituições de crédito". De acordo com o banco central, o facto de alguém não desempenhar uma actividade profissional, nomeadamente donas de casa e desempregados sem direito ao respectivo subsídio, "não deve constituir motivo de recusa de abertura de contas de depósito, bastando que os próprios declarem aquelas situações". O DN tentou saber quais as situações que estão a recusar clientes nesta situação, mas nenhum dos bancos contactados (Caixa Geral de Depósitos, Millennium bcp, BES, Totta e BPI) referiu quaisquer reclamações nesse sentido. O jornal escreve que nem o próprio Banco de Portugal quis adiantar mais pormenores quanto às situações em causa. Defesa do consumidor contesta medidaPara as associações de defesa dos consumidores esta atitude de exclusão não é admissível e seria resolvida se os serviços mínimos bancários fossem aplicados. Mário Frota, da APDC, disse ao DN que esta atitude constitui "um acto de exclusão bancária", uma situação que muitos países europeus já resolveram com a obrigatoriedade dos serviços mínimos bancários.Também Ana Tapadinhas, da Deco, considera que o Governo deveria retomar este tema e torná-lo "obrigatório" para todo o sistema bancário.

in SIC Online

sábado, dezembro 24, 2005

Desejo de Boas Festas

Caros amigos,

Serve a mesma apenas para desejar um quadra de festividades com tudo aquilo que devemos também desejar para o resto de todo o ano... Mas nesta época dá para exteriorizarmos melhor: portanto, façam o favor de serem felizes!

Um grande abraço e beijos conforme se aplique!
Hélder Conceição

sexta-feira, novembro 18, 2005

Nós cá o esperamos!!!

Dakar 2006 cruza Baixo Alentejo
in "Diário do Alentejo"-18/11/2005

"A primeira etapa oficial da edição 2006 do Dakar, a realizar no último dia do ano, vai partir do Clube de Campo Vila Galé, a poucos quilómetros de Albernoa. Segundo apurou o "DA" junto de algumas fontes – o percurso final só será tornado público na próxima terça-feira, dia 22, em conferência de imprensa a realizar às 18 e 30 no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa –, a caravana do mítico rally parte da unidade hoteleira no dia 31 de Dezembro, em direcção à meta instalada em Aldeia de Fernandes, no concelho de Almodôvar, depois de passagens pelos municípios de Aljustrel, Castro Verde e Ourique.

Considerada a prova rainha do todo-o-terreno a nível mundial, o Dakar 2006 liga pela primeira vez Lisboa à capital senegalesa, sendo a sua partida simbólica, no dia 30 de Dezembro, junto ao CCB. Daí, a caravana de mais de duas mil pessoas segue rumo a Sul, para o Baixo Alentejo, onde irá então começar a competição "a sério".

Após a etapa inaugural entre o Clube de Campo Vila Galé e Aldeia de Fernandes, toda a comitiva do Dakar 2006 dirigir-se-á para Portimão, onde festejará a entrada do novo ano com uma enorme festa, que incluirá, garante a organização da prova em Portugal, a João Lagos Sport, uma Gala de Solidariedade.
No primeiro dia do ano de 2006 arranca de Portimão a segunda etapa do rally, que vai voltar a pisar as estradas do Baixo Alentejo, desta feita somente na freguesia de São Barnabé (Almodôvar), pelos caminhos de Xeixa, Casa Nova e Moita Redonda de Cima, seguindo para o concelho de Loulé em direcção à fronteira espanhola.
A prova termina depois a 15 de Janeiro, contabilizando passagens por Portugal, Espanha, Marrocos, Mauritânia, Mali, Guiné e Senegal.

Disputada nas categorias "automóvel", "moto" e "camião", o Lisboa-Dakar 2006 conta na sua caravana com 725 veículos, 485 dos quais em prova (180 automóveis, 230 motos e 75 camiões).
Em prova vão estar os principais pilotos portugueses de todo-o-terreno, como Carlos Sousa, Miguel Barbosa, Paulo Marques, Bernardo Vilar ou Elisabete Jacinto, que vão competir lado-a-lado com os grandes especialistas internacionais e principais favoritos à vitória final, entre os quais Carlos Sainz, Jutta Kleinschmidt, Luc Alphand, Bruno Saby, Stéphane Peterhansel ou Juan Roma.Em 2005, venceram a prova os franceses Stéphane Peterhansel (nos automóveis) e Cyril Despres (em motos) e o russo Fridaus Kabirov (nos camiões)."

quinta-feira, novembro 10, 2005

Construir um país - Eduardo Prado Coelho in Público

Construir um país
Precisa-se de matéria prima para construir um País Eduardo Prado Coelho - in Público

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres. Agora dizemos que Sócrates não serve. E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada. Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates. O problema está em nós. Nós como povo. Nós como matéria prima de um país. Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro. Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais. Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos ... e para eles mesmos. Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos. Pertenço a um país onde a falta de pontualidade é um hábito. Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano. Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e depois reclamam do governo por não limpar os esgotos. Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros. Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é "muito chato ter que ler") e não há consciência nem memória política, histórica nem económica. Onde nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar a alguns.

Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações médicas podem ser "compradas", sem se fazer qualquer exame. Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não dar-lhe o lugar. Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão. Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes.

Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado. Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas. Não. Não. Não. Já basta.

Como "matéria prima" de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que nosso país precisa. Esses defeitos, essa "CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA" congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até converter-se em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente ruim, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não em outra parte... Fico triste. Porque, ainda que Sócrates fosse embora hoje mesmo, o próximo que o suceder terá que continuar trabalhando com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos. E não poderá fazer nada... Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá. Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, e nem serve Sócrates, nem servirá o que vier. Qual é a alternativa? Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror? Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa "outra coisa" não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados....igualmente abusados! É muito bom ser português. Mas quando essa portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda... Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um messias.

Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer. Está muito claro... Somos nós que temos que mudar. Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a nos acontecer: desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e francamente tolerantes com o fracasso. É a indústria da desculpa e da estupidez. Agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável, não para castigá-lo, senão para exigir-lhe (sim, exigir-lhe) que melhore seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido. Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO. AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO EM OUTRO LADO.

E você, o que pensa?.... MEDITE!

sexta-feira, outubro 28, 2005

Cursos de preparação para o Ensino Superior

Para divulgação:

Cursos de preparação para o Ensino Superior na ESTIG.

segunda-feira, outubro 17, 2005

Alentejo Terra-Mãe

Não posso deixar de assinalar com alegria o nascimento de uma revista dedicada ao Alentejo de seu nome, "Alentejo Terra-Mãe". Apareceu-me em casa com o Público de Domingo.
Ainda não a li por completo mas parece-me uma coisa interessante.

No entanto e porque sou um gajo do contra, aqui vai a critica fácil e barata, elencada em 3 pontos:
1) parece-me sofrer de certos tiques do que é ser alentejano e do "sentir" alentejano que a mim sempre me fizeram muita confusão... para os meus detractores e para aqueles que se preparam para me "postar em cima", bem sei que não nasci no Alentejo, mas não me parece que o ser e sentir do Alentejo tenha que ser necessariamente uma série de clichés que por acaso esta revista reflecte...
2) ir buscar logo no 1º número uma série de "notáveis" senhores do burgo que dissertam sobre o desenvolvimento do Alentejo e por onde esta região deve caminhar no futuro parece-me uma ideia louvável mas que, uma vez mais, volta a cair nos mesmos clichés de sempre... ah e tal o Alqueva... e mais não sei quê o Aeroporto de Beja e mais o terminal de Sines, não esquecendo o turismo numa base sustentável... enfim o normal quando se quer falar do futuro do Alentejo sem nada dizer... Estes senhores são os mesmos que aparecem nos jornais nacionais a dizer as mesmissimas coisas em relação ao país, trocando apenas os nomes às coisas;
3) por último, um louvor à tentativa de criar uma publicação sobre a região e, ao mesmo tempo, uma crítica ao modo como se pretende atingir o objectivo. Presumo que este tipo de publicações pretenda transmitir para o exterior uma imagem da região pelo que não se percebe o porquê de tão fraca ambição na distribuição da mesma.

Mas enfim, este é só o 1º número de uma publicação que se pretende tenha 4 edições por ano. Aguardamos ansiosamente a próxima edição para aferir do rumo que a publicação vai tomar.

terça-feira, outubro 11, 2005

Autarquicas 2005 (III)

Tive um vizinho que dizia: "Nem que metam lá um burro, eu hei-de votar sempre no PC!"
Parece-me que em Beja, muita gente pensa desta forma.

Quero também dar o parabéns ao nosso Pancada. É o novo vereador da Câmara de Ferreira.

Um abraço

A vida passa através do reflexo da janela do carro

No trânsito impossível do súburbio prá metrópole - ida da margem sul pra lisboa - via ponte 25 de Abril... tento sempre ocupar meus pensamentos com alguma reflexão! Muito me ajuda ouvir os Sinais, rúbrica de Carlos Magno na TSF. O homem e suas prosas clicam sempre em alguns botões que para mim são catalizadores de inspiração...
Mas mais que os Sinais e a reflexão introspectiva... aquela que motiva o título do post (pensar na vida, nos pequenos dramas, blá, blá, blá)... hoje o que me despertou a atenção foi aquilo que vi pra além do reflexo do vidro da minha janela: uma carrinha de mudanças que, apresentava a sua propaganda e em letras mais pequenas citava a seguinte frase: "Feliz o homem que acredita em Deus." Eu, vendo outra vez para além do reflexo do vidro da minha janela, pensei que seria melhor alternativa apresentar: "Feliz o homem que acredita nos Homens, na Humanidade. "
E por momentos senti-me feliz, pelo menos até ao momento em que um caramelo qualquer arrisca a sua vida e a de mais 4 ou 5 pessoas, apenas para mudar de faixa de rodagem...
Bem mas se é uma questão de fé, eu continuo a acreditar, nem que seja para ver se consigo realizar o estado de felicidade... Será optimismo demasiado e até um pouco bacoco? Alicerçado no mito do Homem Bom? Não sei, preciso de acreditar...